Pesquisar este blog

sábado, 25 de dezembro de 2010

Bienvenidos al tren

Estou partindo. On the road, de novo, baby. Volto quando não houver mais nenhum dia de ócio. Relaxe, te levo comigo. Levo a tua imagem ao lado dos nossos futuros filhos, sentado em frente ao piano ou com o violão em punho, ensinando o que mais sabe fazer. Estou me preparando para te encontrar. Será logo, não se preocupe. Meu bem, quero te ver estudando a nossa filosofia. Te ajudo, você sabe que sim. Não gosto de definir destinos, mas, ainda quero te ver de cabelinho branco junto de mim, de nós, da família que vamos criar. Meu bem, eu te amo. Amo você por ser exatamente como é. Você, com todos esses ideais nobres e maravilhosos na cabeça. Adoro esse teu ar sonhador. Tentei assistir ao filme que me indicou, Into the Wild, mas ainda não consegui. Indico Easy Rider – Sem Destino para esses dias em que eu estiver fora. Não sei se curte Los Hermanos, mas gostei tanto daquela música que diz: “E até quem me vê lendo o jornal. Na fila do pão, sabe que eu te encontrei.” Amor, onde quer que eu vá, vou te levar comigo. Por enquanto em pensamento, depois em corpo. Quero a tua mão na minha, nossos olhos na mesma direção. Confie em mim, fizemos um pacto de amor e fidelidade. Se cumprir o que prometeu, vou cumprir o que prometi, mesmo debaixo de uma saraivada de balas. Não haverá no mundo ninguém mais fiel do que eu. Mas, assim como te divido com a música, a filosofia e a solidão, precisa entender que terá que me dividir com a estrada e com a minha solidão. As outras paixões até podem esperar. Parto com Sui Generis, em Bienvenidos al tren, das “Confesiones de invierno”. Parto com Charly García y Nito Mestre. Até a volta, minha vida. E não se esqueça de mim.

Com amor,
Uma certa garota.

Um comentário:

On The Rocks disse...

tô aqui com robertão cantando "quando as crianças saírem de férias talvez a gente possa então se amar um pouco mais..."

quem sabe?

bj,

um certo garoto - rs