Pesquisar este blog

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Salada Moderna

Desabafo livre

Seja magro, fique bronzeado, gaste muito no salão de beleza, vire um enfeite para homens grotescos e ignorantes. Compre um carro, uma casa, roupas de marca... viva por dinheiro, afinal, você precisa de uma TV não sei quantas polegadas, coleções de perfumes e afins.
Vá ao carnaval, vá até a avenida, fique por lá sem fazer nada. Seja normal, morra de vergonha de não ser igual às milhares de pessoas que você pensa que conhece, coma pipoca no cinema, ouça axé, funk, tecno, emo ou qualquer coisa que te empurrarem. Ouça muito uma música e não faça ideia de quem é. Ouça Atlântida. Assista novela, mas só as da Rede Globo, imite e venere os atores, assista todos os anos às mesmas matérias na TV sem reclamar (carros alegóricos das escolas de samba feitos de material reciclável, comidas natalinas ou rituais de ano novo)... mostre que você tem “conteúdo”, assim é mais fácil conseguir empregos que rendam dinheiro.
Jogue na Mega Sena, vá ao McDonalds, em shoppings caríssimos. Diga que ama, mesmo que não perca nenhuma oportunidade de ferrar a tal pessoa, beije, abrace, arrume apelidos carinhosos para quem você odeia, faça de conta que não há nada de errado. Fale expressões que “todo mundo está falando”, beije meninas porque está na moda e, falando em moda, vire hippie, punk ou gótico de butique (adote a mais cara de todas), não faça idéia do que foram esses movimentos, mude com o vento.
Faça medicina, direito, administração, qualquer coisa que tenha “mercado”, tenha milhares de amigos de fachada e não se esqueça de cumprimentá-los quando passarem por você dizendo um “oi, tudo bem”, sem estarem com a mínima vontade de saber se você realmente está bem... o que importa é o status, a “simpatia”... e o dinheiro.
Faça do celular um instrumento indispensável, repugne pessoas pobres ou diferentes, humilhe-as, ridicularize-as, minimize-as... mostre como sua vida “opulenta”, cheia de pequenos ou grandes objetos que você poderia viver sem, é a melhor que se pode ter.
Discrimine bem o que é aceitável e o que é inaceitável hoje em dia... e o que geralmente é aceitável, vale um bom dinheiro.
Puxe o saco do chefe, dedure os seus colegas, eles são seus concorrentes. Finja-se de bonzinho. Garanta o seu, os outros que se fodam. Nunca trabalhe com o que você gosta, prenda-se ao relógio, estranhe as pessoas livres. Case “bem”, orgulhe-se disso, mesmo que “apanhe” todos os dias da sua vida e seja tratado como lixo. Tome Coca-Cola. Fofoque com o vizinho, faça a caveira dos seus familiares, fale do que você não sabe, ponha as pessoas umas contra as outras só para ver no que vai dar, aumente ou invente os fatos. Quem sabe você ganhe aliados que te ofereçam “alguma coisa”.
Queira sempre mais e mais e jamais tenha algum papel de relevância no mundo. Morra sem culpa de ter desperdiçado sua vida com futilidades. Faça tudo isso e mais um pouco e se torne um individualista bovino moderno. E não se esqueça de se orgulhar... e de ganhar dinheiro!

(Essa era eu escrevendo há alguns anos. Estou assustada.)

2 comentários:

Rart og Grotesk disse...

nossa!!!rsrs texto interessante!!temos que saber aproveitar a vida, podemos escolher se vamos seguir a "modinha", assistir todos os anos as mesmas coisas.
algumas coisas são boas, outras ruins.
se quiser, visite meu blog http://artegrotesca.blogspot.com

Renata Oliveira :D disse...

compartilho da mesma aflição.