Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de março de 2011

metamorfose.



















não sou meia dúzia de livros que só eu li, não. 
não sou meia dúzia de filmes que só eu vi, não.
não sou meia dúzia de músicas que só eu ouvi, não.
não sou a mesma o tempo todo, não.
sou do tipo que muda, do tipo que desiste
do que já passou, e está pronta para o que vier.
morro de medo, mas meu impulso me leva além.
tenho muito para aprender e conhecer.
não nasci pronta. preciso de planos,
mais do que preciso de sonhos.
sempre estive no mundo dos sonhos.
eu posso assustar, mas posso ser 
a criatura mais doce que você já viu.
eu sou o que sou. com todos os meus
dígitos, problemas, vícios & fúrias.
sondo a loucura, porque a loucura
me atrai mais do que a sanidade.
eu gosto do imperfeito, eu amo escrever,
eu me vendo para sobreviver.
mas vendo a minha verdade.
mas escrevo a minha verdade.
mas vivo a minha imperfeição.
se quer simetria, achou a pessoa errada.
se quer constância, idem.
se quer aventura & novidade, pode entrar.
se quiser estabilidade, me ajude a conquistar.
eu sigo regras, rituais, cronogramas.
sou exigente, sou enfática, sou da estrada.
entendo o quanto a vida é efêmera,
por isso escrevo, a minha e a tua história.
sou a responsável por registrar a vida,
esse pequeno espaço de luz no universo,
para quando a chama se apagar e partir.
deixo legados. deixo desafetos. deixo amores.
não me importo em me meter em confusão:
aprendo com tudo. tenho coragem até
de desistir; e de admitir que tenho 
covardia de sobra, já que sou humana 
e algo além. 

cuidado comigo: posso mudar a tua vida.
prazer, fabita.

3 comentários:

Dio Pereira disse...

muito prazer, fabita!

Herman G. Silvani disse...

Fabi, Fabi... belíssimo texto.. apareça mulher! no mas.. tô te lendo.. beijos & saúde!

Cynthia disse...

Parabéns. Sensacional o texto.