Pesquisar este blog

segunda-feira, 25 de abril de 2011

uma noite no botequim



ele estava lá, adivinhando os sons da vida dela. aquele personagem subiu o degrau de casa, o palco, e soltou o vozeirão de bluesman. would?, piano bar e love me two times, finalmente. barba crescida, presença gigantesca que derramava pequenas lágrimas de uma emoção que ninguém, a menos que tenha pisado em um palco, poderia decifrar. dedicou a última música à moça agarrada à pequena máquina fotográfica, que a apertava incansavelmente para enganar as suas lágrimas que tentavam sair. quatro dias depois estariam no don pita, fazendo planos e trocando autógrafos. ela, pretensa a escritora; ele, músico talentoso há anos, futuro pai dos filhos dela. a casa estava planejada na mente de ambos. a cerquinha branca, a rede na varanda, a horta, o jardim, o sótão, que seria o esconderijo das duas almas que finalmente encontraram o amor, antes que a morte os levasse. uma espécie de milagre amoroso, um daqueles encontros do destino, aquela junção de almas que não se vê em qualquer esquina. estava tudo planejado. o verbo amar conjugado no presente, sem exceções, só excessos. ela o amou desde a primeira frase, do primeiro olhar, do primeiro beijo, do primeiro choro. ele também. ela tinha vontade de levá-lo na mala e cuidar daquelas feridas, assinar contrato para ter todas as noites e manhãs aquele olhar que a penetrava, aqueles planos guardados entre as paredes do don pita, aquele toque intenso de quem sabe onde pisa. na penumbra, longe dele, na solidão do seu quarto, lembrava do rosto que ganhava tons pardos na escuridão da madrugada, da barba que roçava no seu pescoço, que se contorcia. ele iria atrás dela, largaria tudo, começaria de novo, pegaria carona. os dois fariam um canto, um daqueles ninhos intocáveis, que preencheriam de sonhos. ele, peixes; ela, escorpião. mundo de sonhos profundos e suspiros sem fim. ela era dele e vice & versa. pela primeira vez, podiam se ver amando o mesmo ser até o final. pela primeira vez, amavam de verdade. pela primeira vez, a verdade.

3 comentários:

Renata Oliveira :D disse...

Fascinante. Eles se amaram desde o princípio.

Noctis Lupus disse...

Parabéns guria! :) Felicidades para os dois... É ótimo quando isso acontece. Beijos.

Rachel Kleinubing disse...

Lindo!